21 fevereiro, 2016

Ordem e desordem

Sou verbo,
Sujeito,
E predicado!
Voz passiva e ativa
As vezes sem coerência
Em busca de coesão!

Sou movimento
Ação
as vezes quieta, quase sem reação
Sempre expressiva
tenho a impressão!

Se precisar gritar, vou gritar
Se precisar chorar, vou chorar
Se precisar silenciar, vou silenciar
Se precisar ouvir, vou ouvir
Se precisar decidir, vou decidir
Me reconhecem assim?
Talvez Dona de mim! Talvez não.

Sou intuição
Sou emoção
Sou sentimento
E sou razão!
Nessa ordem
e também desordem!

13 fevereiro, 2016

05:10

05:10. Acordei alguns minutos antes do despertador tocar como de costume e fiquei ali, imóvel, com os olhos bem abertos, buscando dentro da mente recuperar os detalhes do sonho: elefante, ônibus, amor, pai, mãe, filho, praia, golfinhos, armas, tiros, carro, violência. Registrei tudo no caderninho, pesquisei nos sites alguns elementos para me ajudar na interpretação das mensagens do meu inconsciente, alonguei e levantei. Desperta para o novo dia. Orgulhosa com a conquista do hábito adquirido. Houve um tempo que eu dizia: Credo! Acordar cedo é coisa de doido! E aqui estou eu hoje - uma doidinha acordando cedo e feliz! 

05 fevereiro, 2016

03 fevereiro, 2016

Atravessando o deserto

Aqui estou eu
Deserta
Nesta região quase desabitada 
chuvas tão irregulares
clima árido
Um Saara

Atravesso.
vou,
Sei que preciso.

Arrisco-me!
Encontrarei água,
pura,
intuição
sigo!

01 fevereiro, 2016

Um mergulho em mim

Conhecer a mim mesma tem sido o grande desafio de minha vida
Olhar para dentro
Mergulhar!
E quando lá, fechar os olhos e sentir

A respiração
a pulsação
o fluxo sanguíneo
O que muda com cada emoção?
E por quê?

Mergulhar e sentir
O que está vivo? Deixar viver
O que está morto? Deixar morrer

Sair de mim e renascer
Ser melhor
Para mim
E para você!