29 abril, 2011

O vazio da minha existência

"O que foi não mais existe; existe exatamente tão pouco quanto aquilo que nunca foi." Schopenhauer

Aqui dentro um desassossego
uma vontade de ir e ficar
de prender e libertar
des-organizar o ego
e permitir-me conhecer

Percorrer os caminhos cujos passos estão demarcados
e aqueles, os outros...
o que estão a se fazer ao caminhar

Em desequilibro
como pêndulo
com tremor
com a inquietação de quem atravessa sem saber o que tem do outro lado
de quem  não sabe o que procura
mas sabe o que quer achar!

Aqui dentro, bem aqui
habita um desassossego em busca do equilíbrio
uma insônia em busca do sono
um dilema indeciso frente as opções e as oportunidades

entre o que fui, o que sou e o que serei há o vazio
um lugar
um tempo
o transitório